Anúncio

Professora vai além do plano de aulas, para motivar alunos de Guarapari

por Larissa Castro

Publicado em 15 de outubro de 2020 às 10:11
Atualizado em 15 de outubro de 2020 às 10:13
Anúncio

Honrando o título de professora, que vai além do dia 15 de outubro, data exclusiva para comemorar o Dia do Professor, alunos de Guarapari matriculados nas escolas E.M.E.F Cândida Soares Machado e E.E.E.M. Dr. Silva Melo têm a sorte de vivenciarem a paixão profissional da educadora Fernanda da Silva Geraldo, que ultrapassa o rígido plano de aulas na hora de lecionar.

Fernanda da Silva Geraldo em exposição apresentada por alunos.

Apesar da pandemia e do atual método de ministrar aulas de forma on-line, na trajetória de Fernanda, que contabiliza nove anos de profissão em Guarapari, projetos que envolvem a cultura, o meio ambiente e a sociedade, marcam o ensino de adolescentes e jovens. A relevância é tanta, que as ideias se propagam para outros professores e alguns projetos foram merecedores de premiações.

“Infelizmente pouco fizemos para os projetos este ano, pois a dinâmica da prática e intervenções extracurriculares não foram possíveis. Todos os projetos fizeram a diferença pelo trabalho transdisciplinar desenvolvidos junto a outros professores, que acreditam na educação e fazem a diferença em suas aulas”, conta a educadora.

Fernanda e alunos do ensino médio durante visita à Aldeia Piraqueaçú, em Aracruz.

Fernanda, que vê o método extracurricular como uma ferramenta que vai além de livros e cadernos, e envolve o cotidiano do aluno, nota a tecnologia, como uma nova ferramenta de ensino que chega para ficar. “A tecnologia nos trouxe grandes transformações, nos proporcionando um leque de possibilidades no processo de ensino e aprendizagem. O ensino remoto vai dar lugar ao híbrido e cada vez mais será necessário a inserção de metodologias ativas em prol de um aluno protagonista e autônomo”, opina.

“A interação e relação aluno-professor é essencial no processo. Mas uma educação por excelência, ultrapassa os muros das escolas. Por isso é tão importante trabalhar o protagonismo e a autonomia desde as séries iniciais”

Fernanda da silva geraldo, professora.

Com uma nova realidade virtual, a professora que trabalha com alunos entre 11 e 19 anos, tem se reinventado com ideias tecnológicas. “Tenho feito um trabalho de tutoria onde apresento as atividades propostas, trocamos ideias, desenvolvemos novas tecnologias e trabalhamos para que os alunos entendam a importância do vínculo com a rotina de estudos”, explica.

Alunos do ensino médio durante visita à Bienal de Artes, em São Paulo, proposta por Fernanda em 2018.

Enfrentando o processo de desenvolvimento da educação, Fernanda percebe alguns desafios na profissão. “Reconhecimento. Muitos não entendem a importância do professor no processo de formação intelectual e cultural do indivíduo. A falta de valorização e parceria das famílias no processo ensino aprendizagem também são grandes desafios”, lamenta.

Fernanda da Silva Geraldo, professora.

E para quem deseja ingressar na profissão pedagógica, Fernanda deixa um recado.”É preciso derrubar as barreiras entre as disciplinas, implementar aulas através das novas tecnologias para instigar os alunos desmotivados, enfrentar a baixa autoestima e falta de perspectiva de formação intelectual”.

“Desejo que o profissional da educação, mediador do conhecimento, seja exaltado em sua total importância na formação do cidadão e de todas as outras profissões”.

Fernanda da silva geraldo, professora das redes municipais e estaduais.
Anúncio

Veja também

Ailana Vilela_capa

Antes do retorno, Samarco implanta o “Força Local”

azul-conecta-voo

Voos diretos para Guarapari

Anúncio
negros

Novembro Negro: conheça algumas expressões racistas e seus significados

socorro quero bolo (1)

Venda de bolos liberta mulher da depressão

Fábio Novaes Sicoob

O que é e o que muda com Pix

galeto_assado

Galeto Assado com Ervas e Limão Siciliano