Anúncio

Pediatra aponta cuidados para evitar doenças típicas do verão em crianças

por Aline Couto

Publicado em 19 de janeiro de 2023 às 15:16 / Atualizado em 19 de janeiro de 2023 às 15:16

Verão, época que muitas famílias tiram férias junto com as escolares e escolhem o litoral para o descanso merecido. Um dos municípios mais famosos e frequentados no Espírito Santo, Guarapari recebe milhares de pessoas nessa época do ano. Mas é necessário ter cuidado e resguardar a saúde de todos, principalmente das crianças. É nesse período que as doenças comuns, como gastroenterite, virose e insolação, típicas do verão, afetam mais as crianças.

Dra. Aline Rodrigues

Em busca de esclarecimentos e informações, a Revista Sou conversou com a pediatra, Dra. Aline Rodrigues que falou sobre as doenças, os sintomas e os cuidados necessários para o tratamento.

Doenças e sintomas

“Nessa época do ano continuam circulando os vírus respiratórios, e com isso há uma incidência alta dos resfriados, gripes e bronquiolites. Os sintomas são congestão nasal, tosse, febre, e, eventualmente, desconforto respiratório. Também se intensificam os quadros de gastroenterite, que são vômitos e diarreias, que podem ser associados ou não a febre. Além do aumento no número de casos de dengue, que apresenta febre alta e persistente, em torno de cinco dias, dor no corpo, cefaleia, prostração e manchas na pele. Ainda devemos ter cuidado com quadros de insolação e desidratação, devido a exposição prolongada ao sol sem a proteção adequada”.

Cuidados e tratamentos

“Em relação aos resfriados e gripes, evitar contato com pessoas com sintomas, evitar lugares fechados com aglomeração e lavar bastante as mãos para não haver o contágio. Para a criança doente, os cuidados devem ser a lavagem nasal, remédio para dor ou febre quando necessário e observar o estado geral da criança. Se ela estiver bem, se alimentando e sem dificuldade para respirar, pode-se manter esses cuidados em casa até uma resolução espontânea dos sintomas. Se em algum momento a criança ficar muito caidinha, dormindo demais, ou for algum bebê pequeno com menos de três meses, com dificuldade de respirar, de se alimentar, mamar, essa criança precisa ser levada ao Pronto Socorro.

Para tentar fugir das gastroenterites, deve-se lavar bem as mãos e os alimentos antes de ingeri-los, principalmente os alimentos crus, como frutas. Ter cuidado com alimentos expostos ao sol, o que for comer na praia, por exemplo, porque a gente não sabe como esses alimentos foram armazenados, se eles estão adequados para consumo. No tratamento da gastroenterite pode ser utilizado remédio para controlar os vômitos, remédio de reposição de flora intestinal, hidratação abundante, soro de hidratação oral, água, água de coco, alimentação saudável com alimentos mais leves e observar. Se esses vômitos forem persistentes, se a criança não conseguir ingerir líquidos ou se ela diminuir a quantidade de xixi, a saliva ficar espessa, sem lágrima, com olhos fundos, são sinais de desidratação e ela precisa ser levada para um Pronto Socorro para uma avaliação.

Sobre a dengue, é usar repelente e evitar o contato com o mosquito Aedes aegypti, causador da doença. Caso a criança seja picada, tomar bastante líquido, hidratar bastante, remédio ante dor ou febre, e procurar atendimentos se a criança estiver muito caidinha e não estiver conseguindo se alimentar ou ingerir uma quantidade suficiente de líquido, com febre persistente e mais alta. Se tiver algum sinal de vômito, dor abdominal e algum sangramento de gengiva ou nariz, também buscar por atendimento médico”.

Veja também

foto-1-1

Sob nova direção, Cheirin Bão é o sabor mineiro na cidade

20240412_163652-1

Roupas como novas com os serviços da LavExpress

20240419_164559338_iOS

Desvendando o futuro da Odontologia: o poder da digitalização

IMG_0795

Está chegando a hora! Faltam três dias para o Baile da Sou

traballhar-em-destaque

Enxergar e se reconhecer: Óticas Sara chegam com estilo e qualidade a Guarapari

USAR-ESTA-FOTO

A nutri te ensina: Mamãe em forma – é possível recuperar a boa forma após o parto?