Anúncio
Sou-Header_Site_Entrevista

Entrevista da semana

Carolina Brasil é jornalista, formada em 2005/2 pelo Centro Universitário Faesa. Iniciou a carreira como estagiária na TV Educativa do ES e, com o diploma em mãos, trabalhou por cinco anos na TV Vitória/Record. Capixaba, mudou-se para o Rio de Janeiro onde passou por agências de Publicidade e Propaganda. Após retornar ao Estado, passou a fazer parte da equipe da HM Propaganda, contribuindo com os veículos jornalísticos, Revista Sou, e outros jobs publicitários. Neste espaço, com ela, você confere uma entrevista especial a cada semana!

Outubro Rosa 2020: “A vida mudou. A forma de cuidar dela, não”

Publicado em 4 de outubro de 2020 às 15:00
Atualizado em 4 de outubro de 2020 às 15:01
Anúncio
Marilucia Dalla, presidente da Afecc. Foto: Divulgação

Com esse slogan, a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc) deu início a mais um Outubro Rosa no Espírito Santo. A instituição é a coordenadora oficial, em terras capixabas, do movimento que surgiu para incentivar a importância da detecção e do tratamento precoces do câncer de mama. De acordo com as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil terá cerca de 66 mil novos casos de câncer de mama para cada ano do triênio 2020-2022. Por esta razão e diante do atual cenário de pandemia, a campanha defende, ainda, que o medo da Covid-19 não pode superar a iniciativa de cada um em cuidar da saúde. Sobre este mês especial e todo trabalho desenvolvido ao longo do ano, conversamos com Marilucia Dalla, presidente da Afecc-Hospital Santa Rita.

Revista Sou: Vamos começar falando de como nasceu e alguns números da Afecc?

Marilucia Dalla: A Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer, Afecc, foi fundada em 28 de abril de 1952. O objetivo sempre foi acolher e dar assistência aos pacientes em tratamento de câncer. Em 31 de março de 1970, a Afecc inaugurou o Hospital Santa Rita de Cássia. Nascia, então, uma nova esperança para o tratamento de doentes com diagnóstico de câncer. Com o hospital, além de acolher, a instituição passou também a diagnosticar e tratar os pacientes. A Afecc é administrada por uma diretoria voluntária e conta com mais de 300 voluntários atuando em programas e projetos sociais em prol dos pacientes do SUS em tratamento de câncer. Atualmente são 20 programas e projetos sociais desenvolvidos. Contudo, devido à pandemia, apenas dois deles (PAI e Lanche para Pacientes e Acompanhantes) ficaram mantidos por serem essenciais para o bem-estar e a manutenção do tratamento oncológico do paciente após a alta hospitalar. Os demais estão temporariamente suspensos. No que diz respeito aos pacientes do SUS, somente em 2019 foram realizados 64.552 atendimentos por meio dos projetos sociais, fornecendo 1.511.736 de benefícios. Já na atenção médico-hospitalar, também em 2019, foram realizados cerca de 700 mil atendimentos ambulatoriais aos pacientes SUS em tratamento oncológico.

RS: Essa é uma situação passageira, quando em atividade, como esses programas e projetos acontecem?

MD: Eles são aplicados para dar as condições necessárias para a recuperação e reintegração na sociedade. Todo o tratamento médico hospitalar é disponibilizado no Hospital Santa Rita, que além de ser referência no tratamento de câncer e detentor do maio complexo oncológico do Espírito Santo, se consagra como um Hospital Geral de Grande Porte, com equipamentos de última geração e atendendo a pacientes do SUS, particular e convênios. A integração dos profissionais das áreas médica e social, voluntariado e familiares, propicia toda a assistência ao paciente, não apenas quando se encontra internado, mas, também domiciliado. Isso faz com que o paciente tenha um tratamento continuado, sem interrupções e, consequentemente com uma eficácia maior e maiores chances de recuperação.

RS: Agora, sobre o Outubro Rosa, o que podemos destacar? É importante ter um mês dedicado à causa?

MD: Ter um mês dedicado à causa é importantíssimo para que esse reforço seja ampliado e atinja o maior número de pessoas. É durante este mês que reunimos o Governo do Estado, as administrações municipais e a iniciativa privada para, em conjunto, alertar sobre a importância da detecção e do tratamento precoces do câncer de mama. Para a campanha deste ano, preparamos um movimento com a maioria das ações virtuais. Entre as atividades virtuais estão palestras de orientação com médicos, psicólogos e assistentes sociais. Nos anos anteriores os palestrantes iam até as empresas e comunidades. Neste ano, esses encontros serão realizados em plataforma on-line. As atividades em que a presença física for preciso obedecerão aos critérios de distanciamento social, uso de máscaras protetoras e demais cuidados necessários para dar segurança a todos. Por isso, o slogan do movimento deste ano no Espírito Santo é “A vida mudou. A forma de cuidar dela não”.

RS: Uma das formas de apoiar a campanha e ajudar a Afecc é a tradicional camisa, como adquirir?

MD: A Camisa da Afecc – Outubro Rosa 2020 foi oficialmente lançada no dia 21 de setembro, durante a inauguração da Loja Outubro Rosa, no Shopping Vitória, localizada ao lado da Le Postiche. Ela traz no peito uma criação da artista Raissa Saidler, que também elaborou a arte que decora o interior da loja. A artista trabalhou voluntariamente para a causa, assim com a decoradora Zildinha Helal, que fez a ambientação da loja. Para contribuir, basta ir à loja e colaborar com o movimento adquirindo a camisa Outubro Rosa (com a doação de R$ 25,00) e peças alusivas à campanha. Toda a arrecadação obtida na loja será destinada ao tratamento de câncer dos pacientes do SUS no Hospital Santa Rita. A loja segue os dias e horários de funcionamento das demais lojas do mall e obedece às regras de funcionamento que inclui o uso obrigatório de máscara.

Imagem: Reprodução

Para saber mais sobre os programas e projetos da Afecc basta acessar www.afecc.org.br. Doações podem ser feitas através do PicPay (procurar o ícone “AFECC Doações” na lista do aplicativo); através https://afecc.doareacao.com.br/, onde pode escolher como pretende contribuir; ou entrar em contato com a instituição pelo telefone (27) 3334-8058.

​SELO SOCIAL – Por meio do Programa Selo Social Empresa Parceira da Afecc na Luta Contra o Câncer é definido o tipo de contribuição, assinado um Termo de Compromisso e entregue a certificação correspondente ao selo escolhido. Na prática, isso significa o compromisso da empresa de contribuir com os programas sociais desenvolvidos pela Afecc e ser reconhecida por meio de certificação. As empresas podem aderir a quatro diferentes tipos de contribuição que proporcionam quatro diferentes tipos de selo social: Diamante, Ouro, Prata e Bronze. Cada um oferece benefícios específicos e podem ser renovados a cada ano.

Anúncio

Veja também

gestante

Exercícios na gestação: o que não te contaram

Ailana Vilela_capa

Antes do retorno, Samarco implanta o “Força Local”

Anúncio
azul-conecta-voo

Voos diretos para Guarapari

negros

Novembro Negro: conheça algumas expressões racistas e seus significados

socorro quero bolo (1)

Venda de bolos liberta mulher da depressão

Fábio Novaes Sicoob

O que é e o que muda com Pix