Anúncio

Na onda do surf de Guarapari

por Larissa Castro

Publicado em 25 de agosto de 2020 às 11:40
Atualizado em 25 de agosto de 2020 às 11:42
Anúncio

Seja em busca de lazer ou saúde, o surf é um esporte que proporciona a sensação de bem estar para quem o exerce. Com mais de 50 praias, Guarapari, o litoral mais procurado do Espírito Santo, também oferece pontos com boas ondas para a prática. Dentre as preferidas no município, estão: Praia do Morro, Praia de Setiba e Praia d’Ulé. Reunindo atletas locais e de cidades vizinhas, o mar do município abre espaço para quase 200 pessoas em uma onda. Para se dar bem e fazer o dia na água render, a estação que forma as melhores ondas é o inverno, sempre pela manhã, devido ao vento. 

Jovens e adultos unidos na vibração de apreciar o que a natureza proporciona e expande, ao ponto de trazer rotinas saudáveis e cercadas de amigos. Assim se formam os surfistas que ao iniciarem a prática, seguem por anos no esporte. Como o pastor Robson Silva, 53, apelidado de Baião, que está no surf há 38 anos. “Eu surfo por lazer, mas viajo para vários lugares no mundo. Durante esses anos, fiz vários amigos dentro e fora do Brasil, alguns que iniciaram na minha época, também seguem praticando. A energia que a praia oferece é algo muito bom. No Estado, a onda que eu mais gosto é a da Praia do Além, localizada em Anchieta. Em Guarapari, minhas preferidas são as praias Setiba e do Morro” revela o atleta. 

Robson Baião. Foto:Yuri Leite.

Há também quem tenha ganhado uma melhor qualidade de vida e saúde, por ter contato direto com o mar. Ao se encontrar no esporte aos 8 anos de idade, o surfista Caio Freire, 27,  conseguiu controlar a Asma, uma doença respiratória que, segundo ele, o exercício ao ar livre foi o que promoveu a estabilidade. “Minha asma melhorou muito. Era para eu ter o pulmão baqueado, mas os médicos já me adiantaram que o fato de eu fazer um esporte aquático e em contato com o sal do mar, ajudou a reduzir a asma. Minha qualidade de vida é excelente, devido a isso”. 

Mas, apesar de ser algo leve e vivenciado em cenários paradisíacos, o surfe requer a prática de técnicas. Por isso, é recomendado iniciar ainda criança. “Leva tempo para aprender a surfar bem. Todo dia é uma nova evolução. Qualquer pessoa consegue surfar, a partir dos cinco anos até os sessenta, em média, se tiver uma boa saúde”, orienta Caio Freire, que coleciona diversos prêmios no esporte. 

Caio Freire. Foto: Vinicius Brambati .

Gírias do Surfe 

Flet- Mar com pouca onda 

Fechadeira- Onda que não tem qualidade boa e não quebra para dois lados 

Haole- Surfista que vem de outra cidade 

Marola- Mar pequeno  

Merrequeiro- Surfista que só aparece quando as ondas estão pequenas 

Tags:

Anúncio

Veja também

gestante

Exercícios na gestação: o que não te contaram

Ailana Vilela_capa

Antes do retorno, Samarco implanta o “Força Local”

Anúncio
azul-conecta-voo

Voos diretos para Guarapari

negros

Novembro Negro: conheça algumas expressões racistas e seus significados

socorro quero bolo (1)

Venda de bolos liberta mulher da depressão

Fábio Novaes Sicoob

O que é e o que muda com Pix