Anúncio

Sou-Header_Site_Entrevista

Entrevista

Maternidade em dose dupla

Publicado em 8 de maio de 2024 às 15:05
Atualizado em 8 de maio de 2024 às 15:05

A vida e o amor providenciaram o encontro da Izabela Sabino (27) e da Carol Gotardo (34) há pouco mais de quatro anos, e o que veio depois disso foi tão intenso que as duas se casaram oficialmente e decidiram juntas encarar os prazeres e os desafios da maternidade. Hoje temos duas mães transformadas pelas duas filhas de um ano e seis meses, Cecília e Olívia. A família recebeu a Sou para compartilhar o que viveu, a nova rotina e os planos para o futuro. Confira!

Antes da maternidade, veio o casamento. Como foi essa união?

Carol: Quando nos conhecemos e começamos a nos relacionar, ficavam nítidas as nossas afinidades, cumplicidade e parceria. E foi tudo muito rápido, em dois anos, moramos juntas, nos casamos e engravidamos.

Izabela (Bela): A gente mesmo dizia ‘caramba, isso existe’. Carol já definia como ‘encontro de almas’, e eu, mesmo sendo mais cética, tinha a mesma certeza. Eu descobri o amor de verdade com ela.

Foi fácil decidir sobre quem gestaria e como seria essa gravidez?

Bela: Sim e até nisso a nossa afinidade estava. Eu sempre quis ser mãe, era um sonho; mas não me via gestante. A Carol tinha o mesmo desejo da maternidade e queria gestar. Não poderia ser mais perfeito.

Carol: Escolhemos a Fertilização in vitro (FIV) e, achando que demoraria, iniciamos o processo. Era novembro, e em abril do ano seguinte (2022) estava grávida.

Mas vocês esperavam dois bebês?

Carol e Bela: Não mesmo, nem que seria tão rápido! O senso comum faz a gente acreditar que a FIV é algo certeiro, mas não é. O procedimento tem baixa porcentagem de sucesso na primeira tentativa e com apenas um embrião. Por isso, decidimos colocar dois embriões. Para nossa surpresa, foi de primeira e os dois evoluíram.

E como foi o gestar para você, Carol?

Carol: Um pouco longe do que imaginei (risos), tive muito enjoo, por cinco meses passando mal 24 horas por dia, ganhei muito peso, foram 22kg, e no restante não tinha energia para nada. Como eu sempre tive uma vida muito ativa, praticando esportes, achei que seria aquela grávida que continuaria fazendo tudo, mas não foi bem assim.

Em compensação o puerpério…

Carol: Foi maravilhoso! Passamos muito bem, tivemos apenas uma dificuldade inicial na amamentação, mas a pediatra que foi dar o atendimento, nos ajudou a tirar de letra. Não foi por muitos meses, mas valeu cada mamada.

Bela: O legal dessa história é que ela entrou no quarto e disse ‘duas mães? espere aí’, e nos mostrou a translactação. Assim, tanto eu quanto a Carol amamentamos a Olívia e a Cecília. E olha como a vida surpreende: amamentar era um desejo meu, e me perguntava se poderia realizar sem ter a gestação; então essa possibilidade foi algo tão sensacional e que aconteceu de forma tão natural, foi uma emoção enorme!

Falem um pouco de como foi esse um ano e meio?

Carol e Bela: Escolhemos não seguir ‘receitas prontas de maternidade’ e vamos pelo nosso instinto para tudo, do sono à introdução alimentar, passando por todos os cuidados que elas precisam. Todas as demandas com elas são nossas. Temos uma ajudante para as atividades domésticas da casa, mas o que elas precisam somos nós quem assistimos. Agora que frequentam a creche pela manhã, temos esse tempo livre para retomar rotinas e até voltamos a malhar juntas.

Dizem por aí que meninas são mais tranquilas, vocês confirmam?

Carol e Bela: Não mesmo (muitos risos). Cecília e Olívia, além de espoletas, são completamente diferentes em personalidade e preferências; é um grande desafio criar duas crianças na mesma fase e completamente opostas. Agora tem também mais interação entre elas com direito a briguinhas e tudo, mas não ficam longe e uma procura a outra, se abraçam, é muito legal de ver.

Segundo Dia das Mães, qual o sentimento?

Carol e Bela: É diferente, ano passado era o primeiro Dia das Mães, já acordamos emocionadas. A maternidade te constrói, te reconstrói e você não é mais a mesma pessoa e sim uma mulher capaz de fazer coisas que não imaginava. Neste ano, o balanço que a gente faz é de que não mudaríamos nada, tudo até agora e o que projetamos para o futuro é muito mais do que sonhamos, é sensacional.

Falando de futuro, o que vocês querem para elas?

Carol e Bela: Nosso plano é possibilitar que elas conheçam o mundo, antes mesmo da maioridade. Recentemente passamos dez dias com elas na Espanha foi surpreendente; desde cedo ótimas companhias de viagem. Mas o principal, que a gente acredita muito, é valorizar o talento e os sonhos de cada uma delas, validar aquilo que elas gostam de fazer, permitir que sejam elas mesmas e o que elas escolherem.

Cecília e Olívia nasceram de parto cesáreo no dia 28 de novembro de 2022; mesmo dia do aniversário da Carol. Presente em dobro. Uma família linda que você pode acompanhar pelas redes sociais @gotardocarol e @izabelasabino

Veja também

WhatsApp-Image-2024-05-14-at-11.38.11

Marcado para julho, “Eita, sô” está com ingressos à venda em Guarapari

Segunda edição do arraiá beneficente acontece no dia 7 do próximo mês

Festa Junina RB 2024 (1)

Integração família e escola marca tradicional Festa Junina da Escola Rui Barbosa

Centro-de-Eventos-Morangao

Domingos Martins se prepara para mais uma Festa do Morango; confira a programação

baile_sou_2024 (549)

Baile da Sou – galeria de fotos

baile_sou_2024 (289)

Noite consagra evento da Sou e marca momento de confraternização

czechoslovakian wolf dogteeths  in front of white background

Tártaro ou tartarectomia?