Anúncio

Grupo recorda passado de Guarapari, no Facebook

por Larissa Castro

Publicado em 18 de setembro de 2020 às 18:17 / Atualizado em 18 de setembro de 2020 às 19:27

Criado em 2013, o grupo Guarapari Memória é um espaço exclusivo no Facebook para que membros compartilhem recordações e imagens do passado da Cidade Saúde, que amanhã (19) completa 129 anos de Emancipação Política. Com 13.800 integrantes, o espaço recebeu até hoje mais de 3.500 imagens históricas, além de marcar recordações saudosas.

A ideia de criar um espaço virtual para relembrar a história do município partiu do consultor empresarial, João Delpupo, 52, que é natural de Vitória, mas mora em Guarapari desde os cinco anos de idade. “Eu criei, pois percebi que a cidade estava cheia de gente que não conhecia o passado, e muita gente vindo falando em nome da cidade, mas sem conhecer a história local. Além disso, o grupo é uma oportunidade de resgatar a história de homens comuns, pois histórias de políticos e monumentos são contadas, mas as histórias comuns, não são”, explica João.

Primeira foto publicada no grupo. Desfile da escola Polivalente. Foto: Arquivo Guarapari memória.

Com o objetivo de proporcionar lembranças, reconhecimentos e encontros, o grupo se expandiu logo no início e foi além do esperado por João. “Foi despretensioso no começo, mas tomou uma proporção e logo no ganhou esse volume, e as pessoas começaram a se encontrar por ali, através de compartilhamentos”.

Guarapari na década de 1870. Foto: Albert Richard Dietze.

Tamanha expansão resultou na descoberta de uma neta pela história do avô desconhecido. “Postamos uma foto de uma jardineira, que era um caminhãozinho e cumpria a função de um ônibus aberto. Então um rapaz do grupo lembrou o nome do automóvel, que fazia o trajeto de atravessar a ponte. O motorista recebeu o apelido de “Maracangalha”, que era uma marchinha de carnaval da época. Tempos depois, uma menina comentou no grupo dizendo sobre o avô dela, que era desconhecido, mas relembrou o apelido, e aí contamos do passado do avô; resgatamos uma parte da história desconhecida para ela. Sempre surge algo interessante”. Além dessa, João relata que há diversas outras histórias marcantes no grupo.

Transporte utilizado para atravessar a ponte do município. Foto: Arquivo Guarapari Memória.

E para João, apaixonado por histórias e encantado por Guarapari, onde construiu a vida e reside desde o ano de 1975, a melhor época foi o verão da década de 80. “Os verões da década de 80 eram espetaculares. Iniciava no começo de dezembro e ia até março. Havia eventos, festivais de vela, de motos, shows, e outros. Quem viveu sabe do que estou falando”, relembra.

Evidenciando o amor pela cidade, João reforça que o município é além do que a natureza proporciona. “Guarapari não é tudo o que poderia ser. É uma cidade maravilhosa, mas talvez por ter tanta beleza natural, ser tão bacana, as pessoas acharam que não tem que haver políticas públicas para se tornar uma cidade mais desenvolvida. As praias são lindas, mas só isso não basta”.

João Delpupo, criador do grupo, e esposa. Foto: Arquivo pessoal.

E se você quiser viver ou compartilhar as histórias de Guarapari, basta solicitar a participação no grupo. Clique aqui.

Veja também

WhatsApp-Image-2024-04-19-at-09.33.19

ES Gás investirá R$ 50 milhões na implantação de rede de gás em Guarapari

mulher-lendo

Dia Mundial do Livro: confira 8 obras sobre saúde feminina para melhorar a relação com seu corpo

Moqueca-servida-em-Anchieta_9070

Rota dos Sabores: Espírito Santo tem diversidade gastronômica para todos os gostos

doações RB capa

Escola Rui Barbosa une solidariedade e carinho em forma de doações

Campanha para arrecadar roupas e calçados ganhou traço marcante da escola

meaipe-nova-orla-projeto

Meaípe vai ganhar nova orla e Festival de Frutos do Mar para atrair mais turistas

DSC_5545-1

Jornalista lança livro sobre festival de música que marcou Guarapari nos anos 70