Anúncio

Cada empreendedor, uma história!

Reunimos experiências inspiradoras e exemplos de pessoas que escolheram trilhar o caminho do empreendedorismo em Guarapari.

por Carolina Brasil

Publicado em 2 de janeiro de 2020 às 09:00
Atualizado em 14 de agosto de 2020 às 10:52
Anúncio

De acordo com dados do relatório executivo sobre o empreendedorismo brasileiro, do programa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), a cada 100 brasileiros, com idade entre 18 e 64 anos, 38 estavam conduzindo alguma atividade empreendedora em 2018 – seja mantendo um negócio estabelecido ou criando/aperfeiçoando um novo negócio. A pesquisa é produzida no Brasil pela equipe do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). 

Isso significa que, naquele ano, a taxa total de empreendedorismo (TTE) foi de 38%, o que representa quase 52 milhões de pessoas que já empreendem e/ou realizaram alguma ação visando a criação de um empreendimento em um futuro próximo. 

No Espírito Santo, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indicam quase 600 mil empreendedores – divididos entre as três categorias de cliente do Sebrae: empresários, potenciais empresários e produtores rurais. Os números foram registrados dentro da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), relativa ao 2º trimestre 2019. 

Aqui, fomos além dos números e reunimos algumas experiências inspiradoras de empreendedorismo. Caminhos diferentes que começaram com os mesmos objetivos: De fazer diferente e buscar a independência. São exemplos de homens e mulheres que, nas próximas páginas, contam como decidiram empreender em Guarapari, revelam os desafios e as dificuldades, e compartilham os motivos que os fazem continuarem e esperarem o melhor para 2020. 

É preciso evoluir! 

Eduarda Ribeiro e Juliana Meriguetti, da Amabilis. Fotos: HM Propaganda

Em pouco mais de um ano, Eduarda Guimarães Ribeiro e Juliana Guimarães Meriguetti passaram de uma atividade paralela para a abertura formal de uma empresa. As empreendedoras estão à frente da loja exclusiva Amabilis em Guarapari. “Começamos juntas com um showroom de roupas. Abríamos apenas aos sábados ou em atendimentos com hora marcada e 80% das nossas peças eram Amabilis. Trabalhei com a marca no passado e quando iniciamos o negócio, decidimos resgatar”, lembrou Eduarda. 

Juliana revelou que muita coisa mudou com a loja, localizada em uma das principais avenidas do Centro da cidade. Ela, por exemplo, deixou a atuação em Recursos Humanos em uma empresa do setor de Construção Civil e trocou Vitória por Guarapari para residir. “Passamos a nos dedicar integralmente à loja e agregar serviços que antes não eram necessários como contabilidade, informática, fornecedor de sacolas, bancos, além de uma funcionária”. 

As sócias ressaltaram que a escolha por montar uma loja também passou pelo desafio de dar um passo a mais no empreendedorismo. “Vimos na loja a oportunidade de ampliar o atendimento e conquistar mais clientes, já que antes tínhamos algumas limitações e um horário reduzido. A vitrine permite que sejamos descobertas por quem ainda não conhece a marca e reconhecidas por aquelas que já sabem de toda proposta da Amabilis”, completou Juliana. 

Nesse sentido, Eduarda destacou que a opção delas pela Amabilis também passou pela afinidade com a proposta da marca, que é de roupas leves, com qualidade e caimento impecáveis. “As peças Amabilis são atemporais, práticas e elegantes. Prova disso é que a marca não lança apenas as ‘macro’ coleções anuais de primavera/verão e outono/inverno, mas diversas ‘cápsulas’ ao longo do ano. Tem sempre novidade na loja”. 

E a meta para 2020 é consolidar o negócio, expandir a divulgação, fidelizar e ampliar a cartela de clientes. “Para isso, temos parcerias com influenciadores digitais, pequenos eventos como coquetéis e mimos para presentear as clientes. E, também, vamos retomar o serviço de malinha delivery, onde a cliente faz um cadastro e pode receber algumas peças para provar em casa”, finalizaram. 

Um espaço para chamar de seu! 

Danielly Marchese escolheu montar uma loja de semijoias.

Esse é o sentimento da empresária Danielly Marchese que, há pouco mais de quatro meses, deixou o atendimento domiciliar para abrir uma loja no Centro de Guarapari. “Eu comecei a vender semijoias há cerca três anos, atendendo as pessoas em minha casa. Com o número de clientes aumentando, esse formato ficou inviável e decidi abrir a loja para melhorar o negócio e ter uma vitrine a mais”, lembrou. 

Formada em Engenharia de Produção, chegou a trabalhar na área, mas viu a necessidade e um desejo pessoal virarem a oportunidade que ela precisava para transformar o sonho em realidade. Segundo Danielly, tinha dificuldade de encontrar peças diferenciadas e tendências em acessórios com a proposta da semijoias. “Sempre adorei o mundo da moda e o acessório era algo que tinha dificuldade de encontrar por aqui. Vi que outras pessoas também tinham o mesmo sentimento e enxerguei nisso um nicho de mercado. Busquei fornecedores, conquistei clientes e credibilidade”. 

E a combinação qualidade, tendência e variedade faz do diferencial da loja Dani Marchese. “Trabalho com designers de semijoias e fornecedores nos quais eu confio, todas as peças têm banho antialérgico e de ouro 18k, e as pedras são as mesmas usadas em algumas joias. Gosto de priorizar peças diferenciadas que fazem a diferença no look e o bacana da semijoias é toda essa qualidade com valor mais acessível”, destacou Danielly acrescentando que possui algumas peças em bijuteria. “Muitas vezes, uma peça muito colorida ou da moda que se mostra bem passageira, costumo buscar em bijuteria para aquela cliente que não quer investir muito nesse tipo de acessório”, completou. 

Com apenas 30 anos, a empreendedora já sabe que é isso que deseja para a vida e para que seja uma longa trajetória, têm investido em cursos, além de contar com uma rede de apoio. Dani considera a administração e o financeiro os grandes desafios nessa empreitada do empreendedorismo, porém, tira de letra a escolha e a divulgação das peças, tarefas que faz questão de executar exclusivamente. 

Para 2020, prepara a criação de um site de e-commerce e a abertura das vendas no atacado. Por enquanto, a grande vitrine de anéis, chokers, colares, pulseiras, brincos e outros acessórios é o Instagram. De lá ela mostra todas as peças que chegam, monta produções, dá dicas de como usar e até realiza algumas vendas. “Tenho clientes que veem o post e já encomendam a peça. Faço entregas na cidade e despacho para qualquer lugar do Brasil”. 

Sempre em alto nível! 

Jhnony, Kelcio e outros profissionais forma a equipe Qualidentes.

Com a proposta de oferecer com excelência o que há de mais moderno em tratamentos dentários, os sócios e cirurgiões-dentistas Jhnony Castelan Colombi e Kelcio A. L. Siqueira fundaram, em 2012, a Qualidents. “Ao longo dos anos e também para 2020, a meta continua sendo reunir as novidades e as melhores técnicas disponíveis em Odontologia”. 

Para isso, Dr. Jhnony, especialista em implantodontia, com atuação em Ortodontia, e Dr. Kelcio, também especialista em implantodontia, contam com uma equipe entrosada e atenta ao mercado. “Por trabalharmos com uma equipe multidisciplinar, abrangemos todas as áreas da Odontologia, desde procedimentos de prevenção, estéticos e de reabilitação, com implantes, cirurgia, ortodontia, prótese, endodontia e odontologia pediátrica. O maior desafio é sempre tentar proporcionar o melhor atendimento onde cada caso é estudado de forma individualizada, priorizando sempre a saúde e estética do paciente”, ressaltaram.  Completam o time profissional da Qualidents a Dra. Aretha, clínica geral e pós-graduanda em Prótese Odontológica, e Dra. Ana Tereza, especialista na área da Odontopediatria. 

Os sócios destacaram também que, além de toda preocupação com a resolutividade das questões trazidas pelos pacientes, a qualidade também passa pela forma de receber. “Nosso objetivo é oferecer tratamentos dentários da melhor maneira, com conforto, bom atendimento e ótima infraestrutura”. 

Anúncio

Veja também

gestante

Exercícios na gestação: o que não te contaram

Ailana Vilela_capa

Antes do retorno, Samarco implanta o “Força Local”

Anúncio
azul-conecta-voo

Voos diretos para Guarapari

negros

Novembro Negro: conheça algumas expressões racistas e seus significados

socorro quero bolo (1)

Venda de bolos liberta mulher da depressão

Fábio Novaes Sicoob

O que é e o que muda com Pix