27 3361-4163 — contato@revistasou.com.br

Qual foi a última vez que você viu o caderno do seu filho?

Acompanhar o cotidiano escolar desde o início do ano letivo é fundamental para afastar as crianças do fantasma da recuperação.

educacao (3)Acabaram as férias, e é preciso recomeçar o dia a dia escolar dos filhos. Saem de cena a praia, os passeios, a flexibilidade no horário de dormir e entram acordar e dormir mais cedo, os deveres de casa e a diminuição do tempo de lazer. Mas isso não precisa ser um sacrifício, principalmente se os pais souberem orientar sobre a importância de começar o ano letivo com o “pé direito”.

E não apenas orientar, mas acompanhar o processo. Isso faz toda a diferença no final do ano, quando o fantasma da recuperação ronda para muitos. Essa repórter que vos escreve que o diga, mas pelo lado positivo. Sexta-feira era dia de a minha mãe conferir os cadernos para ver se estava tudo em ordem (até mesmo a caligrafia) e antes das provas, não raras vezes, ela aplicava questionários sobre as matérias. Mas confesso que era boa aluna e por isso não dava muito trabalho…

Independente de dominar ou não o conteúdo proposto,é fundamental que os pais conheçam a rotina de estudos do filho, o que acontece dentro da escola desde o horário da entrada até o horário de saída e participem do máximo de reuniões que puderem. Ainda maisimportante é que exista diálogo. Não adianta aos filhos esconder as dificuldades, pois a verdade sempre aparece, nem que seja só na hora de pedir para assinar o boletim.

ESTUDOE se meu filho se recusa a estudar? Todos os pais esperam que os filhos sejam alunos exemplares. Mas quando acontece o contrário, é difícil saber como reverter asituação. Em seu livro Filhos bem-sucedidos, a educadora Andrea Ramal aconselha que o “primeiro passo para o estudo funcionar bem é criar o hábito”. Por isso, mesmo se não existir lição de casa naquele dia, incentive seu filho a, pelo menos, dar uma lida na matéria para fixar os conteúdos. Em paralelo, faça-o desligar os aparelhos eletrônicos naquele momento e explique que assim os estudos vão render mais e assim ele poderá voltar mais cedo para o lazer.

Além disso, evite broncas, punições e ameaças. “Tudo pode ser dito de maneira diferente. Educação não pode acontecer só com base no castigo, senão o estudo acaba sendo visto como algo ruim”, completa Andrea.

Finalmente, procure dar o exemplo. Ler regularmente, matricular-se em algum curso e fazer atividades culturais, como ir a um museu ou exposição de arte, são algumas atitudes que trazem benefícios para toda família.

 Estudar é um bem para a vida toda!

educacao (4)Para os pais que desejam que seus filhos deem um passo extra na vida acadêmica e sejam mais independentes e responsáveis, uma opção é inicia-los no método Kumon. Diferente das aulas particulares – que trabalham o mesmo currículo da escola – o Kumon tem o objetivo de desenvolver a postura e o hábito do estudo diário, de modo que o aluno se torne autodidata e consiga se desenvolver sem dificuldades.

Para isso, o métodoKumon trabalha em cinco diferentes níveis, independente da idade e série que a criança está matriculada, explica Ranessa Braga, orientadora da Unidade – Muquiçaba.

O primeiro é a “Motivação”, quando a criança começa a estudar em um ponto fácil ou ideal, e resolve os exercícios sozinha. No nível 2, chamado “Confiança”, ela chega aos conteúdos da série escolar que está matriculado e no 3, “Desenvolvimento”, ultrapassa os conteúdos da série escolar ao sentir que não tem mais dificuldades. No nível 4“Desafios”, o aluno se torna autodidata e aplica o aprendizado adquirido no dia a dia, busca informações sobre assuntos ainda não vistos e aprimora sua habilidade acadêmica e no quinto e último, “Resultados”, adquire a chamada reserva de capacidade, pois já estuda conteúdos do Ensino Médio, tem raciocínio lógico e sente-se confiante epro-ativo.

educacao (1)

 

“É perceptível a mudança do aluno quando conciliamos os estudos na escola com o método, pois ele se torna muito mais confiante em suas atividades e, consequentemente, terá facilidade para ler, escrever, interpretar textos e executar cálculos. Acreditamos que toda criança tem seu potencial e é capaz de evoluir e crescer”, destaca a orientadora Kumon Guarapari, Ranessa Braga

 

 

Mas por mais que seu filho se torne independente, não esqueça: ele precisa de você e a maior aprovação que ele pode receber não está no boletim do final do ano, mas no olhar dos seus pais.

Se você ainda não sabe como começar o acompanhamento escolar dos seus filhos, seguem algumas dicas:

  • Fique de olho nas lições de casa. Pergunte sempre se tem alguma.
  • Separe um cantinho da casa e estabeleça um horário fixo para que seu filho faça as lições. Tente manter a casa tranquila nesse período;
  • Encoraje seu filho a melhorar, mas evite comparações com os colegas.
  • Leia bilhetes e avisos que a escola mandar e responda quando necessário.
  • Compareça às reuniões da escola e chamados extras, se houver. Dê sua opinião.
  • Acompanhe a frequência da criança ou do adolescente às aulas e sua participação nas atividades extracurriculares.
  • Peça ajuda aos professores e orientadores, caso perceba alguma dificuldade no desempenho de seu filho. Procure o caminho do diálogo.

Por Gabriely Sant’Ana

Deixe um Comentário