27 3361-4163 — contato@revistasou.com.br

Pet também sofre com o calor!

pet-calorOs cães também sofrem com altas temperaturas. Por isso, o verão apresenta uma série de riscos que exigem  uma atenção especial com o pet por parte dos donos. “Os cães acabam mais propensos a adquirir diversos problemas nessa época do ano por estarem muito expostos ao calor e à umidade”, explica o Dr. Marcelo Quinzani, diretor do Hospital Veterinário Pet Care.

Alguns dos problemassão doenças como hipertemia e câncer de pele, este último bastante comum em cães de pelo curto ou coloração mais clara. “Normalmente, as partes mais expostas ao sol, como pálpebras, ponta do nariz, orelhas ou mesmo abdômen são as regiões mais afetadas”, conta o veterinário.

Para diminuir o risco de câncer de pele, os passeios devem ser evitados em horários do dia em que o sol está mais forte, principalmente quando se tratarem de animais albinos ou despigmentados. “O ideal é que os pets estejam utilizando protetores solares nas partes mais expostas como orelhas, barriga e focinhos”, completa.

Já a hipertemia – elevação exagerada da temperatura corporal – é causada pela forte exposição ao sol e às altas temperaturas. “Seja em passeios ao ar livre ou até mesmo dentro de ambientes fechados, como carros e canis, a hipertemia pode acontecer rapidamente e colocar o animal em risco de vida”, completa o especialista.

Marcelo conta que o animal não transpira pelo corpo, como os humanos. Sua única forma de trocar calor com o ambiente e equilibrar a temperatura do corpo é pela respiração. “Por isso, se o pet estiver com a respiração ofegante além do normal, ele pode estar tendo dificuldade em esfriar o corpo. Quando isso acontecer, o dono precisa buscar ajuda veterinária imediatamente”, esclarece.

Outro problema ocasionado pelo verão é a infestação de ectoparasitas. “Nesta época do ano, os cães podem sofrer com graves infestações de pulgas e carrapatos e ainda com picadas de mosquitos e pernilongos que podem lhes provocar incômodo e alergias”, explica o veterinário. Isso ocorre porque os parasitas encontram no pelo do cão o ambiente perfeito para se instalarem: calor e umidade.

Ajudando o pet a se refrescar

Para manter a saúde dos cães durante verão, é recomendado que as refeições sejam divididas e oferecidas em pequenas quantidades. “Muitos cães deixam de comer nas horas mais quentes do dia e procuram o alimento somente à noite. É importante oferecer frutas e legumes frios que poderão ajudar o animal a sentir menos calor”, explica o veterinário. “Outras maneiras de ajudar o cão a se refrescar sem ser pela respiração é deitá-lo no chão frio, oferecer água bem gelada ou até mesmo, matriculá-lo em aulas de natação”, completa.

Já os banhos, segundo Marcelo Quinzani, deixam o animal mais confortável em dias muito quentes e podem ser usados como um recurso para deixá-lo mais à vontade. “A tosa também pode ser indicada para animais de pelos mais longos e densos. É preciso somente tomar cuidado com a temperatura da água e do secador, que não devem estar muito quentes”, explica.

Deixe um Comentário