27 3361-4163 — contato@revistasou.com.br

Estratégias para vencer a crise

Foto Durval

Confira as dicas do engenheiro e consultor empresarial Durval Vieira.

O país está mergulhado em uma das maiores crises econômicas já vividas e a situação em nível estadual e local não é diferente, ainda mais quando se amarga as consequências de uma tragédia como o desastre da Samarco em Mariana. No entanto, há uma luz no fim do túnel. Segundo o engenheiro e consultor empresarial Durval Vieira, o momento atual exige que os empresários sobrevivam e mostrem resiliência. “Se fizer isso, o empreendedor sem dúvida vai sair forte da crise”, afirma.

Prevendo que a crise seja resolvida até o final deste ano, com a retomada das atividades da Samarco, e que o primeiro semestre de 2017 apresente crescimento econômico gradual, em entrevista à Revista Sou, Vieira dá algumas dicas sobre como sobreviver em meio às dificuldades. E o primeiro conselho do consultor empresarial, idealizador do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF), é que os empresários precisam cuidar de seus caixas. “O momento é de não se endividar e cortar custos”, diz.

O segundo passo, de acordo com Vieira, é fazer um bom planejamento. Avaliar a situação da empresa e ver onde é possível melhorar, criando alternativas. Se for preciso, contratar uma consultoria para fazer as correções necessárias, mas o importante, no momento, é não se endividar. “Adotando essas medidas, acredito que até dezembro veremos o fim desta crise. A partir do primeiro semestre do ano que vem, essas questões serão resolvidas gradualmente”, prevê.

E em tempos de crise, é comum que empreendedores pensem apenas na parte administrativa da empresa, mas tão imprescindível quanto essa área se faz necessário planejar estratégias de comunicação para vencer o período difícil. Muitas vezes é necessário contratar uma consultoria para elaborar um bom manual de gerenciamento de crise.

Otimista, Durval comenta o tanto que as crises são importantes para mostrar aos empresários a necessidade de estar preparado para enfrentar as dificuldades. De acordo com o consultor, que coordenou o plano estratégico 2030 para o Espírito Santo, o Estado não vai perder investimentos nos próximos anos.

E as maiores apostas são as parcerias público-privadas (PPPs), mas os empresários precisam se capacitar para participar do processo. “Teremos investimentos pequenos de alto valor agregado. Nos acostumamos muito a falar de bilhões, milhões, mas agora teremos investimentos em maior quantidade e menor valor, que vão exigir profissionais mais qualificados”, explica.

Outro aspecto importante destacado pelo consultor é que o empresário precisa diversificar suas atividades. “O empreendedor local precisa entender que tem que ser competitivo. Quem se preparou está conseguindo contornar essa crise, não está navegando num mar de rosas, mas está convivendo bem com a crise”, analisa.

Por Taís Hirschmann

Deixe um Comentário